Gente que faz e… Acontece!

Um pouco de História

A convite do querido amigo, acompanhamos a dias, a “DISTRIBUIÇÃO DE SOPA” feita semanalmente a pessoas carentes pelo GRUPO ESPÍRITA SAMARITANO – GES. Embora sabendo um pouco do que muito ali se realiza, esse contato mais próximo surpreendeu-nos e superou expectativas.

Presenciar trabalhos de tal alcance restabelece a confiança no ser humano. A dedicação e a amorosa doação de todos os participantes do GRUPO é contagiante e nos impele divulgar essas atividades.

O GES foi fundado, em 03/09/82, por Paulo Augusto Toledo, colega do Banco. A memória nos leva ao remoto passado dos primeiros anos da década de 60, em que trabalhamos juntos na Ag. Mooca. Havia ali alguém muito estudioso e praticante e divulgador da doutrina Kardecista. Era o Roberto Pizani, hoje uma cara lembrança. As sementes que lançou caíram em solo fértil e vários colegas, por sua influência , abraçarama a doutrina espírita. Desde dessa época acompanhamos o trabalho de alguns deles, – criadores de outros núcleos-, e em especial o do Paulo Augusto, que empenho e devotamento fundou o GES.

Dia Sem Fome

Feita essa concessão ao saudosismo, vamos ao que vimos. Comecemos pela “distribuição de sopa”. Bem, o nome nasceu no início dessa atividade, mas já não é apropriado. A refeição servida aos sábados a mais de trezentas e cinquenta pessoas cadastradas e carentes pode eventualmente ser uma substanciosa sopa, com pão e sobremesa, mas também poderá ser macarronada, ou arroz com feijão e carne, ao até um estrogonofe com todos os acompanhamentos de praxe.

A cada sábado, em revezamento, um dos quatro grupos dedicados a essa tarefa prepara, cozinha e serve a comida. Cada núcleo é formado por oito pessoas. Há um coordenador, mas todos trabalham igualmente e contribuem para pagar os mantimentos empregados na refeição do dia. O entusiasmo do grupo é contagiante. Simpáticos e agradáveis transmitem alegria.

Cultivando o Amor Próprio

Por outro lado, as pessoas carentes, quase todas originárias da favela da Pedra Branca, próxima, portam-se com absoluta correção e dignidade desde a fila para entrar no prédio, até irem embora, com a fome saciada. Durante breve preleção e prece antes de entrarem no refeitório, e também durante, durante a refeição, agem educadamente, sem atropelos, e com bom humor.

Além disso, tais pessoas, visivelmente necessitadas, apresentam-se bem asseadas, penteadas, com roupas conservadas e limpas (na maior parte, doadas pelo próprio GES). Esses cuidados com higiene são fruto de anos de trabalho permanente dos colaboradores do Grupo no sentido de estimular-lhes a autoestima, de modo a fazer com que se respeitem e respeitem ao próximo. Pode-se dizer que tal objetivo foi alcançado.

Gravidez-Problema?

Felizmente, há muitas outras atividades da maior importância. Prestam ORIENTAÇÃO E AJUDA A GESTANTES, com fornecimento de enxoval completo para os bebês. Os enxovais distribuídos feitos por um grupo de doze abnegadas senhoras que se reúnem na Sede do GES todas as quartas-feiras, durante o dia todo, e costuram as roupinhas necessárias. Os tecidos e aviamentos necessários geralmente são doados. Além disso, as gestantes inscritas no programa recebem, pelo período de seis meses, o leite em pó necessário a alimentação ou do bebê ou dela própria, como reforço de nutrição, já que são orientadas a amamentar seus filhos. Em geral a adolescente fica revoltada com a gravidez precoce, fato comum, e por isso há psicólogas que as orientam para lidar com a situação. Recebem também informações a respeito de métodos anticontraceptivos.

Assistência Médica

O GES possui também uma farmácia que distribui gratuitamente os remédios prescritos pelos médicos de posto de saúde. Os medicamentos são cuidadosamente ordenados pela encarregada do setor e submetidos a verificação rigorosa do prazo de validade. São, ou de amostra grátis fornecidas por médicos, ou oriundos de doações. A farmácia funciona aos sábados, mas segundas-feiras, a abnegada médica, Dra. Adélia, que dá plantão voluntário no ambulatório, fornece ela mesma os remédios necessários.

Ensinando a Pescar

O GES não quer apenas dar o peixe, mas ensinar a pescar. Assim, dentre outras formas de orientação, possui duas que merecem referência. Uma é a Escola de Corte e Costura e de Trabalhos Manuais, destinada as mães matriculadas no Grupo Samaritano. A outra, que me sensibilizou, é a Escola de Computação para crianças e adolescentes. Um professor, também voluntário, dá aulas para esses jovens, de modo a possibilitar-lhes maiores oportunidades no mercado de trabalho, cada vez mais competitivo. A fila de interessados é grande e cresce sempre. Alguns grupos já se “diplomaram”.

Esforço Comum

O GES possui uma única e delicadíssima função remunerada. Não recebe qualquer ajuda governamental e paga TODOS os impostos com que é cumulada. Desnecessário falar da falta de recursos que é frequentemente determina a suspensão de algumas das atividades por tempo indeterminado. Vale ressaltar que o Grupo Espírita Samaritano se preocupa com a divulgação dos ensinamentos da doutrina espírita, tanto que há Cursos de Evangelização em diversos graus, para adultos e crianças. Todavia, nada é obrigatório para quem se inscreve a fim de obter ajuda. Em qualquer área prevalece, sobre qualquer outra coisa, a missão de assistir aos necessitados.

Os frutos aqui mostrados (e há muitos outros) são resultados do trabalho de muita gente: diretores, voluntários e colaboradores. O GES está aberto a sua participação.

Que seu exemplo frutifique.

Caridade

Falasse eu a língua dos homens e dos anjos

E não tivesse caridade, Seria como metal que soa

Ou como sino que tine.

Tivesse eu o dom da profecia, e toda a ciência;

Tivesse eu o dom da fé,

De maneira tal que transportasse os montes,

Eu não tivesse caridade,  NADA SERIA.

                                                         (São Paulo)

Comentários e pings esto fechados no momento.

Comentários Fechados.